quarta-feira, 26 de abril de 2017

"Mantenha dentro de si um coração agradecido. 
Quem sabe reconhecer o bem, a força que o amor tem em nossas vidas, o poder que uma oração sincera traz: segue costurando o bem no seu caminho e não olha pra trás"

terça-feira, 28 de março de 2017


... quando se ama não é preciso entender o que se passa lá fora, pois tudo passa a acontecer dentro de nós.

(clarice lispector)

Uma das coisas que aprendi é que se deve viver apesar de. 
Apesar de, se deve comer. 
Apesar de, se deve amar. 
Apesar de, se deve morrer. 
Inclusive muitas vezes é o próprio apesar de
 que nos empurra para a frente.

terça-feira, 14 de março de 2017


Quem dera eu aprendesse a viver cada dia como se fosse o último. O último para dizer “obrigada”. O último para dizer “me desculpa”. O último para dizer “eu te amo”. O último para abraçar cada pessoa amada com aquele abraço bom que faz um coração cantar para o outro. O último para apreciar a vida com o entusiasmo que não guarda nenhuma delícia nem ternura pra depois. O último para fazer as pazes. Para desfazer enganos. Para saborear com calma, como se me servissem um banquete, a preciosidade genuína que cada único respiro humano representa.

Quem dera eu aprendesse a viver cada dia como se fosse o último. O último pra esquecer tolices. O último para ignorar o que, no fim das contas, não tem a menor importância. O último para rir até o coração dançar. O último para chorar toda dor que não transbordou e virou nódoa no tecido da vida. O último para deixar o coração aprontar todas as artes que quiser. O último para ser útil em toda circunstância que me for possível. O último para não deixar o tempo escoar inutilmente entre os dedos das horas.

Quem dera eu aprendesse a viver cada dia como se fosse o último. O último para me maravilhar diante de cada expressão da natureza com o olhar demorado de quem olha pela primeira vez. O último para ouvir aquela música que acende sóis por toda a extensão da minha alma. O último para ler, de novo, o poema que diz tanto de mim que eu me sinto caber nos olhos do poeta que o escreveu. O último para desembaraçar os fios emaranhados dos medos que me acompanham.

Quem dera eu aprendesse a viver cada dia como se fosse o último. Eu não perderia uma chance para me presentear com os agrados que me nutrem. Eu criaria mais oportunidades para dizer o meu amor. Para expressar a minha admiração. Para destacar para cada pessoa a beleza singular que ela tem. Para compartilhar. Eu não adiaria delicadezas. Não pouparia compreensão. Não desperdiçaria energia com perigos imaginários e com uma série de bobagens que só me afastam da vida. Quem dera eu aprendesse a viver cada dia como se fosse o último, porque pode ser.


ana jácomo  

quarta-feira, 8 de março de 2017

Dia Internacional da Mulher

Estrelas Além do Tempo é a história incrível de Katherine Johnson (Taraji P. Henson), Dorothy Vaughn (Octavia Spencer) e Mary Jackson (Janelle Monae) - brilhantes mulheres afro-americanas que trabalharam na NASA e foram os cérebros por trás de uma das maiores operações da História: o lançamento em órbita do astronauta John Glenn, uma conquista fantástica que restaurou a confiança do país, mudou a Corrida Espacial e galvanizou o mundo. 

O trio visionário atravessou todas as barreiras de gênero e raça para inspirar gerações para sonhar grande.

Estrelas Além do Tempo - se destaca ao não apostar no vitimismo de suas protagonistas. Seria muito fácil, com uma história assim, ficar no sofrimento oriundo do preconceito. Ao invés disso, a trama mostra que cada derrota faz com que elas tenham mais vontade de lutar, mais vontade de serem aceitas, mais vontade de verem seu trabalho dar certo. E lembrar que tudo isso é baseado em uma história real só torna essas atitudes ainda mais admiráveis.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

 





...Andando por aí
Olhando o céu e te seguindo numa estrela
No brilho do luar sinto você no ar .... 



domingo, 27 de novembro de 2016



"Faça uma lista dos sonhos que tinha, quantos você desistiu de sonhar?
 Quantos amores jurados pra sempre, quantos você conseguiu preservar?


Onde você ainda se reconhece:
Na foto passada ou no espelho de agora?
Hoje é do jeito que achou que seria?
Quantas mentiras você condenava?
Quantas você teve que cometer?
Quantos defeitos sanados com o tempo, eram o melhor que havia em você?"


Oswaldo Montenegro. 












sábado, 26 de novembro de 2016

Sábado.

Uma taça de champagne. 

O CD que toca a mesma música. 

Um pote de nutella na geladeira.

O bom e velho sorvete de flocos.

O telefone ao alcance da mão. 



Um número decorado na cabeça. 

O desejo no corpo. 
  
E uma aflição no coração. 

É aí que mora o perigo!
 


 

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

SEIVA DE VIDA E PAZ - João Chagas Leite/Silvio Aymone Genro.wmv


Se os senhores da guerra
Mateassem ao pé do fogo
Deixando o ódio pra trás,
Antes de lavar a erva
O mundo estaria em paz!
As armas não garantem a paz.
O poder enlouquecido também mata os poderosos.
A paz depois da guerra é o silêncio dos mortos
e o espanto mudo dos vivos.

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

"Cartas de amor são escritas não para dar notícias, 
não para contar nada, 
mas para que mãos separadas 
se toquem ao tocarem a mesma folha de papel." 
— Rubem Alves.
"Eu me apaixonaria quantas vezes fosse necessário. 
Por você vale a pena fazer aquelas loucuras de amor 
que a gente ouve por aí." 
— Caio Augusto Leite.



 

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

"Lembrar com amor é oferecer, no coração, um sorriso que se expande. É um jeito instantâneo e poderoso de prece. É um modo de abraço, não importa o aparente tamanho da distância, nem as enganosas cercas do tempo. Lembrar com amor é levar a vida, no exato instante da lembrança, ao lugar onde a outra vida está e plantar uma nova muda de ternura por lá."
 — Ana Jácomo.

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

"— Que foi?
— Nada. (Paixão, solidão, amor, lição, trabalho, calor, frio, vento, sono, fome, coração partido, promessas, amizades, distâncias, angústia, vontade de chorar, quero um abraço, preciso gritar, minha mente está um bagunça, eu amo você.) Nada mesmo." — Caio Augusto Leite.


sexta-feira, 11 de novembro de 2016

ECLIPSE...
Quando o Sol e a Lua se encontraram pela primeira vez, apaixonaram-se e a partir daí começaram a viver um grande amor. Acontece que o mundo ainda não existia e quando Deus resolveu criá-lo, deu-lhes então o toque final...o brilho!

Ficou decidido também, que o Sol iluminaria o dia e a Lua a noite, sendo assim, seriam obrigados a viverem separados.
Abateu-se sobre eles uma grande tristeza quando tomaram conhecimento de que nunca mais se encontrariam.
A Lua foi ficando cada vez mais amargurada, mesmo com o brilho que Deus lhe havia dado, e foi-se tornando solitária. O Sol, por sua vez, ganhou um titulo de nobreza, "o astro rei", mas isso também não o fez feliz.

Deus chamou-os e explicou-lhes: Vocês não devem ficar tristes, ambos possuem um brilho próprio. Tu, Lua, iluminarás as noites frias e quentes, encontrarás os apaixonados e serás, diversas vezes, motivo de poesias. Quanto a ti, Sol, sustentarás esse título porque serás o mais importante dos astros, iluminarás a terra durante o dia, fornecerás calor e a tua presença fará as pessoas felizes.
A Lua entristeceu-se muito com o seu terrível destino e chorou...já o Sol, ao vê-la sofrer tanto, resolveu não se deixar abater, pois teria que dar-lhe forças e ajudá-la a aceitar o seu destino. Resolveu fazer-lhe um pedido: Senhor, ajuda a Lua, ela é mais frágil e não suportará a solidão...., e Deus criou então as estrelas, para lhe fazerem companhia. A Lua, quando está muito triste, recorre às estrelas que tudo fazem para consolá-la.

Hoje, eles vivem assim...separados; o Sol finge que é feliz, a Lua não consegue esconder que é triste. O Sol ainda arde de paixão pela Lua e ela ainda vive na escuridão da saudade.
Sol e Lua seguem o seu destino, ele solitário mas forte, ela acompanhada das estrelas, mas fraca.
Acontece que Deus decidiu que nenhum amor, neste mundo, seria de todo impossível, nem mesmo o do Sol e da Lua..., e foi assim que Ele criou o Eclipse!
Hoje, Sol e Lua vivem da espera desse instante, desses raros momentos que lhes foram concedidos.
Quando olhares para o céu, a partir de agora e vires que o Sol encobriu a Lua, é porque ele se deitou sobre ela e começaram a amar-se, e é ao ato desse amor que se deu o nome de Eclipse.




quarta-feira, 9 de novembro de 2016


"O menino Jesus foi perseguido na infância.
 Na adolescência trabalhou com as ferramentas que um dia o matariam: madeira, martelo e pregos. 
Era de se esperar que sua personalidade fosse angustiada e ansiosa, mas para assombro da psiquiatria, ao abrir a sua boca ao mundo, jamais se viu alguém tão alegre e generoso.
 Ele fez poesia no caos."   — Augusto Cury.